segunda-feira, 16 de agosto de 2010

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

A Turma do Xaxado no Correio Popular de Campinas


Fomos informados, pela nossa representante, a Intercontinental Press, que a partir deste mês o jornal Correio Popular de Campinas está publicando as tiras da Turma do Xaxado. É mais um veículo que valoriza o nosso trabalho e tenho certeza que vamos também agradar a esses leitores Campinenses.

Estamos ao lado do grande Bira Dantas. Veja as tiras em:

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Histórias em Quadrinhos na sala de aula com a Turma do Xaxado

Livro gratuito da Turma do Xaxado com dicas e reflexões sobre o uso das histórias em quadrinhos na sala de aula. Quem quiser o livro, é só entrar na loja oficial de Xaxado ( www.ilhadelivros.com.br ) e baixar de graça o livro completo no banner laranja à esquerda, logo na página principal. É gratuito mesmo, não precisa deixar e-mail nem fazer qualquer tipo de cadastro para baixar o livro."

www.ilhadelivros.com.br

sexta-feira, 9 de julho de 2010

segunda-feira, 14 de junho de 2010

sábado, 5 de junho de 2010

LIVRO 1.000 TIRAS INDICADO AO HQMIX



Caro amigo,

O nosso livro 1.000 TIRAS em quadrinhos, em comemoração aos dez anos da Turma do Xaxado e com a participação de grandes desenhistas brasileiros, foi indicado ao HQMIX deste ano como melhor publicação Infantil e Juvenil.

O Troféu HQMIX é o prêmio Maximo dos quadrinhos brasileiros e considerado o Oscar dos quadrinhos. A Turma do Xaxado já ganhou seis vezes esse prêmio e mais uma vez estamos concorrendo.
Vote! Afinal você é nosso testemunho de que estamos fazendo uma história em quadrinhos que valoriza a nossa cultura, o quadrinho brasileiro e nosso e o nosso País.

QUEM PODE VOTAR:

Para votar é preciso ser profissional da área de quadrinhos e humor gráfico.

COMO SE CADASTRAR:

Para se para votar a pessoa deve se cadastrar pelo e-mail hqmix@yahoo.com.br passando os seguintes dados: nome, endereço completo, contato telefônico, site próprio e indicar a área profissional em que atua — desenhista, roteirista, professor de quadrinhos, pesquisador da área, articulista especializado ou várias dessas aptidões.
O cadastro será analisado pela comissão e aceito ou recusado por falta de comprovação necessária.Para esse ano, as inscrições terminam no próximo dia 10 de junho. Após essa data poderá se inscrever para os próximos anos.

CONTO COM O SEU VOTO!

Antonio Cedraz

terça-feira, 18 de maio de 2010

Cartunista baiano, Cedraz tem HQs publicadas no mercado nacional


Doris Miranda Redação CORREIO Fotos: Andrea Farias


O enorme mandacaru plantado no jardim da casa é o sinal. Mora ali, na movimentada via principal do Matatu, Antonio Cedraz, 65 anos, o mais sertanejo dos quadrinistas brasileiros e que, só agora, depois de quase três décadas de carreira, conseguiu levar as aventuras da simpática Turma do Xaxado para todo o país.


Desde a segunda metade de abril, esse nordestino, nascido em Miguel Calmon e criado em Jacobina, está vendo suas revistinhas serem publicadas no mercado nacional. A porta de entrada foi a parceria de sua própria editora com a editora paulista HQM, que publica também a Revista do Seninha.


Turma do Xaxado reflete o jeito nordestino de ser em histórias lúdicas “Estou muito feliz, apesar de só termos colocado 15 mil exemplares de cada título na rua. Por isso, minha gente, se não achar o Xaxado em uma banca, vá em outra”, convoca Cedraz, avisando que se os leitores quiserem conhecer melhor suas criações podem comprar os 26 livros da turma no site Ilha dos Livros.


“Tenho vendido bem. Outro dia, despachei um material para o Rio Grande do Sul”, comemora o artista, cuja obra também pode ser encontrada da Livraria LDM, na Piedade. Entre elas, o livrão 100 Tiras em Quadrinhos e a série best-seller Histórias Fantásticas.


A TURMINHA


Há quem diga que os desenhos de Cedraz são parecidos com os de Mauricio de Sousa. E são mesmo. O baiano não nega a influência óbvia, assim como a de John Stanley, um dos desenhistas de Luluzinha. “Era o que eu lia na pensão deminha mãe, lá em Jacobina.


Foi só depois que comecei a ver outras coisas nos jornais que os mascates traziam para enrolar seu produtos”, diz o colecionador dos livros do cowboy Tex. Com mais cuidado, percebe- se que as semelhanças se encerram no traço e na ideia da turminha mirim, porque a temática é muito diferente. Antonio Cedraz se aprofunda cada vez mais em assuntos regionais, que traduzem as nuances do sertão rural.


Cedraz criou também um site que funciona como livraria virtual http://www.ilhadelivros.com.br/


O personagem principal é Xaxado, menino despachado que vive alerta para preservar os costumes herdados do avô, um dos cangaceiros de Lampião. “Xaxado sou eu quando eramenino.Nasci e me criei na roça. Com ele, estou contando minha história”, afirma o autor, que cunhou sua cria há 13 anos.


Outros tipos gravitam em torno do menino: o preguiçoso Zé Pequeno, a intelectual Marieta, o arrogante Arturzinho, a ecologista Marinês e seu irmão, o músico Capiba. É essa galera que apronta todas em histórias objetivas, construídas com humor, claro, mas com um certo toque de crítica social. Cedraz fala da seca, da rotina mais lúdica da vida na roça e das figuras do folclore.


BANCÁRIO


Mitos do interior do Brasil, aliás, são uma paixão de Cedraz e renderam até livro temático: Lendas e Mistérios da Turma do Xaxado, que recebeu o Troféu HQ Mix de melhor álbum infantil do Brasil. Apenas um dos seis troféus da maior premiação nacional dos quadrinhos que recebeu. Não bastasse esses,Cedraz ainda foi agraciadocomo título de Mestre do Quadrinho Brasileiro pelo Troféu Ângelo Agostini. E pensar que isso só começou à vera mesmo depois que ele se aposentou da atividade de bancário, que exerceu durante toda a vida. “Tinha que sustentar minha família, né?”, justifica. Bom, aí, as tirinhas que começara a desenhar ainda na adolescência ganharam a atenção exclusiva do artista.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Xaxado quer ganhar o Sul Maravilha



09/05/2010 11:45:15
Xaxado quer ganhar o Sul Maravilha

O neto de bandoleiro que atuou no grupo de Lampião e outros personagens criados pelo baiano Cedraz saem pela HQ Mix Editora

Moacir Assunção - O Estado de S.Paulo

Em uma primeira olhada, o traço lembra muito o do desenhista Mauricio de Sousa, "pai" de Mônica, Cebolinha e Cascão, por causa da semelhança de personagens e cenários. Um olhar mais atento revela, no entanto, que se Mauricio é universal e urbano, o desenhista Antônio Luiz Ramos Cedraz, de 65 anos, baiano de Jacobina, mas morador de Salvador, tem verdadeira fixação por temas regionais nordestinos do meio rural. Como diria Leon Tolstoi, "se queres ser universal, fale de tua aldeia" parece ser o lema do artista.
O personagem principal de Cedraz - como é conhecido o desenhista, que não deixa de confessar a influência do traço de Mauricio, mas também gosta de citar os criadores de Luluzinha e Bolinha, Marge Buell e John Stanley - é um garoto de uma idade próxima à do Cebolinha, só que moreno e com um vistoso chapéu de couro com estrelas de David na cabeça, o Xaxado. O seu nome relembra a dança criada pelos cangaceiros. Ele é neto de um bandoleiro indeterminado, que teria atuado no grupo de Virgulino Ferreira, o Lampião. Realmente, o cangaceiro andou muito pela terra de Cedraz, onde se refugiou depois de ter sido derrotado no Rio Grande do Norte e em Pernambuco. Lá, ele conheceu Maria de Déa, a Maria Bonita.
Ao lado de Xaxado, pontificam outros personagens, como Zé Pequeno, um garoto com fama de preguiçoso; Marieta, uma pequena intelectual apaixonada por livros; Arturzinho, menino rico filho de fazendeiro; a ecologista Marinês e seu irmão Capiba, fã de música sertaneja de raiz. A turminha vive aprontando todas em uma pequena vila típica sertaneja. De vez em quando, entretanto, trocam de cenário e se aventuram na cidade grande e até em outros países.
As histórias têm, muitas vezes, um quê de crítica social. Em várias tiras, Arturzinho, o garoto rico e o único que tem sobrenome, o Albuquerque das famílias patriarcais nordestinas, demonstra preconceito de classe explícito e trata seus empregados como animais, sob críticas dos colegas. Em outras, o negro Capiba é confundido com empregado de um mercado ou garçom por causa da cor.
Ícones. Em outros momentos, aparecem os típicos políticos nordestinos, principalmente o deputado Gatonildo, em roupagem de coronéis do sertão, prontos para enganar o povo. Não faltam, entretanto, ícones do folclore nacional: o Saci, a mãe d"água, a mula-sem-cabeça e até o caipora, protetor das matas pouco conhecido no Sudeste, têm seu espaço garantido.
Para tentar, por sua vez, conquistar o seu espaço no Sul Maravilha, Cedraz lançou, no mês passado, uma revista com seus personagens pela HQ Mix Editora. "No futuro, quem sabe, faço um desenho animado com a turma. A maior dificuldade é que vivo em uma cidade com poucos recursos", lamenta.
E o que o próprio pensa da semelhança de seus personagens e suas histórias com os do paulista Mauricio? "Em termos físicos, sou mais confundido com o Ziraldo, por causa dos cabelos brancos, mas sofri, realmente, muita influência do traço do Mauricio de Sousa, mas também de Luluzinha e sua turma", ressalta.
Cedraz, que participou no ano passado de uma homenagem de colegas de profissão aos 50 anos de Mauricio quando fez uma tira na qual Cascão visitava - e adorava por razões óbvias - o Nordeste, entretanto, não o conhece pessoalmente. "Espero ter a oportunidade de falar com ele. Além de ser um ótimo desenhista, Mauricio é um grande empresário e domina o mercado brasileiro com seu trabalho", elogia.
Críticas o desenhista só faz ao mercado editorial brasileiro que, em sua visão, privilegia quase que exclusivamente temáticas estrangeiras, como o mangá. "Quem faz um quadrinho tipicamente nacional, ainda mais numa região pobre, como é o meu caso, enfrenta enormes dificuldades", diz.
Nascido em uma fazenda no município de Miguel Calmon (BA), Cedraz foi professor do nível fundamental e bancário. Seus primeiros desenhos foram feitos quando tinha somente 16 anos. Passou a se dedicar às tiras depois da aposentadoria no banco.
Os primeiros quadrinhos que leu, já em Jacobina, no norte da Bahia, a 330 quilômetros de Salvador, foram Tarzan, Super-Homem, Capitão Marvel, Fantasma e os personagens de Walt Disney. Desenhistas brasileiros da década de 1960 como o próprio Mauricio, Ziraldo, Nico Rosso, Sérgio Lima, Shimamoto e outros também integram suas influências.
Prêmios. Os trabalhos do artista foram publicados em tiras durante 12 anos no jornal A Tarde, de Salvador, e em livros e revistas que produz na própria editora, a Cedraz Estúdio. Apesar de ter ganhado vários prêmios, como o troféu de destaque no 2.º Encontro Nacional de Histórias em Quadrinhos, realizado em Araxá (MG), em 1989; quatro troféus HQ MIX (1999, 2001, 2002 e 2003), além do Prêmio Ângelo Agostini de "Mestre do Quadrinho Nacional", o desenhista permanece pouco conhecido fora do Nordeste. O seu trabalho pode ser apreciado no site www.xaxado.com.br.

Veículo: O Estado de S. Paulo Publicado em: 09/05/2010 - 11:45

quinta-feira, 22 de abril de 2010

domingo, 28 de março de 2010

PRESTIGIE! COMPRE UMA! COMPRE DUAS...


Os personagens do desenhista baiano Antonio Cedraz ganharam uma nova vitrine na forma da revista em quadrinhos "Xaxado e Sua Turma" (HQM / Editora Cedraz, 36 págs., R$ 2,90).
O título infantil começou a ser vendido nesta semana em lojas de quadrinhos. Deve seguir o mesmo caminho de "Senninha", também da HQM, e ser comercializado nas bancas.
Os dois primeiros números foram publicados ao mesmo tempo. O de estreia traz data de fevereiro e o seguinte, deste mês. A revista estava na lista da HQM há mais de um ano.
As histórias da Turma do Xaxado se passam numa cidade do interior do Brasil. Até agora, a série vinha sendo publicada principalmente em livros e em coletâneas de tiras.
http://blogdosquadrinhos.blog.uol.com.br/arch2010-03-01_2010-03-31.html#2010_03-27_21_04_58-135059040-25

quinta-feira, 4 de março de 2010

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Tiras 1313 e 1314

Clique na figura para melhor visualização

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Feira de livros no Teatro Castro Alves


Clique na figura para ampliar

Domingo, dia 07 de fevereiro, vai acontecer mais uma feira de livros e quadrinhos no pátio do Teatro Castro Alves, no Campo Grande, promovida pela Câmara Bahiana do Livro. A Feira que começa às 9 horas vai vender livros de autores baianos e outros com preços promocionais. Apareça, a Turma do Xaxado vai estar presente com um estande e Antonio Cedraz vai estar autografando e conversando com seus leitores.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

A Visita de um amigo

(Clique na figura para ampliar)


O Ontem (31/01) tive a agradável surpresa de receber a visita do meu amigo Gonçalo Júnior. Ele esteve visitando o seu pai, aqui na Bahia e, de passagem em Salvador, veio fazer uma visita a esse velho companheiro. Trocamos idéias, lembramos de tempos vividos e, como seu conhecimento e talento de escritor, crítico dos quadrinhos e editor consagrado, me deu excelentes sugestões para meus próximos trabalhos.

Hoje recebi esse dele o e-mail: “Foi uma enorme alegria voltar à sua casa, relembrar do lugar onde tudo na minha vida profissional começou. Não se esqueça que por anos, todo sábado à tarde, eu estava aí, compartilhando dos seus sonhos e criando os meus próprios. Foi você quem me estimulou a fazer roteiros, foi você quem imprimiu meus primeiros fanzines (quando isso era economicamente difícil para mim), foi você quem me fez acreditar que eu tinha algum dom para ser jornalista. Certamente não percebeu isso, mas entrar em sua casa me trouxe todas essas lembranças..."

Obrigado velho amigo.

Cedraz
http://www.xaxado.com.br/
http://fotolog.terra.com.br/xaxado/
http://fotolog.terra.com.br/xaxadoesuaturma
http://turmadoxaxado.blogspot.com/
twitter; cedraz@xaxado.com.br

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010


Contagem regressivaA Revista da Turma do Xaxado, que vai se chamar XAXADO E SUA TURMA, ESTARÁ EM BREVE NAS BANCAS. Fique de olho!!

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Estou voltando de Férias...


Neste novo ano espero realizar muitas coisas boas (a revista Xaxado e sua turma, em bancas, novos livros etc).

O mesmo desejo a todos os amigos e leitores.

Abração.
Antonio Cedraz